Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Belo

O olhos procuram sempre algo de belo, os detalhes, os gestos, as sombras, os medos e os sonhos... 
Não há desenho que não assine o que se passa dentro do seu autor.
Mais desenhos e reflexões em Link

7 comentários:

Pedro Loureiro disse...

Fogo! Do caraças!

nelson paciencia disse...

Estou abismado. Grande desenho e reflexão.

Bruno Vieira disse...

Obrigado. Às vezes com as reflexões entalo-me... Segundo o que escrevi sou um saco de plástico cor de rosa no meio da tralha, eheh

Rita Catita Afonso disse...

A alma às vezes está em obras. A vantagem para quem desenha é que não precisa de fechá-la. #abertoparaobras

Isabel Alegria disse...

Interessante reflexão, Bruno!
Reparei que um teu desenho tem umas escadas encostadas ao lado esquerdo do espaço, e pensei que pode ser uma excelente participação no desafio deste mês. Eu senti-as como o elemento mais forte do desenho, como se nos convidasses a usá-las, e a sairmos dali para um outro lugar.
Basta juntares o tag do desafio à tua publicação...

Marcelo de Deus disse...

Bom desenho, melhores palavras

Bruno Vieira disse...

Rita, em remodelação... da via láctea ao chão.
Isabel Alegria, obrigado, por acaso não dei importância às escadas, apesar do primeiro plano, acaso por ser ultrapassadas quando a cor supera o primeiro plano. Em reflexão, o ideal não será fugir/sair mas encontrar sentido, o belo...
Obrigado Marcelo