Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Lisboa British Bar




O British Bar, em Lisboa, perto do Cais do Sodré, numa sexta à noite, quando os amigos se encontram para beber um copo ao final da tarde, à maneira dos pubs ingleses, fazendo um ajuntamento de pessoas que conversam de pé no meio da rua, no exterior do bar, e num movimento contínuo de pessoas que entram e saem, cumprimentam amigos e juntam-se a eles a conversar... pedem um copo, e em boa companhia desfrutam um belo final de dia. 
O ambiente era muito agradável. Cheguei com luz e a noite foi-se instalando a tornar luzes e reflexos ainda mais interessantes.
É um lugar onde quero voltar a desenhar. Adorei a dinâmica entre os dois lados do espaço, interior e exterior, em que os vidros de portas e janelas e os seus reflexos dão uma magia especial ao lugar, criando ainda mais movimento no espaço.

4 comentários:

nelson paciencia disse...

Que óptimo desenho!

Rosário disse...

Também gosto!

L.Frasco disse...

Que maravilha, Isabel!
Captaste mesmo a vivência do espaço. Os movimentos, a acumulação, as bebidas,..
Muito bom!

Isabel Alegria disse...

Obrigada, amigos, pelos vossos comentários! :-)