Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Flagelo

Duvido que algum se tivesse apercebido que os estava a desenhar, tão concentrados estavam naqueles aparelhos patetas...






9 comentários:

João Santos disse...

Epah como eu adoro estes teus freak shows!

Marcelo de Deus disse...

Q fixes !!!!

teresa ruivo disse...

Belíssimos desenhos sobre uma realidade mais assustadora do que possa parecer à partida. Não sei quais são os riscos evolutivos desta dependência, mas imagino que não sejam bons...( P.S.No outro dia, numa fila na farmácia, uma mãe deu o deu telemovel ao filho, que devia ter cerca de um ano e estava num carrinho, para o manter sossegado. Durante todo o tempo, este bebé não cruzou o olhar com ninguém; depois queixem-se...).

Celeste Vaz Ferreira disse...

Gosto imenso do desenhos e a Teresa tem razão, estou farta de ver bebés e crianças a serem entretidos por telemóveis ou iPad sem qualquer interação com o que os rodeia.

Jrosa disse...

Muito bons estes desenhos focando uma praga para a qual devia haver uma vacina, e ser obrigatória...

cláudia mestre disse...

Todos no vício! Para desenhar é mais fácil :)

Rodrigo Briote disse...

Começas a ter material que chegue para uma exposição sobre estes temas

André Duarte Baptista disse...

bela reflexão

Alexandra Baptista disse...

bela reflexão e a deformação a acompanhar:)