Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Do alpendre

Na casa dos meus sogros na Represa em Castelo Branco, a desenhar o que estava à minha frente. Normalmente, faço os meus sketches apenas numa sessão. Neste estiquei-me por umas 3 sessões. Os olhos já não aguentavam tanta árvore, tanta planta, tanto arbusto, tanto ramo e tanta folha mas, como não queria apressar o resultado, optei mesmo por ser paciente e reparti-lo por mais sessões antes de começar a sangrar dos olhos.




9 comentários:

matilde disse...

Muito giro.

teresa ruivo disse...

Adoro! E que trabalheira....parabéns!

Rosário disse...

Que trabalheira ...mas bem bonita!

Pedro Alves disse...

Ja-sus!

Cesar disse...

Muito bom!

Bruno Vieira disse...

Se não desenhaste as formigas, não faltou muito, que avalanche de detalhes...

nelson paciencia disse...

Que grande desenho! Está tão bom.

Suzana disse...

Perdeste-te completamente, adoro!

João Santos disse...

Obrigado pessoal :)