Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sábado, 20 de maio de 2017

10 x 10 Lisboa - Palácio da Ajuda

Contar pequenas histórias em torno de objectos que estavam à nossa disposição no Quarto da Rainha, na Sala Verde e na Sala de Música, num espaço que não podia ser mais aliciante, foi a proposta que o Nelson nos fez e que tornou esta segunda sessão tão mágica.
Optei por desenhar objectos de uma vitrine na Sala Verde e com a preciosa (e generosa) ajuda da técnica do serviço educativo do Museu, Fátima Patacho, que se sentou no chão ao nosso lado com um volumoso maço de folhas, conseguimos encontrar a história de cada um. Adorei este momento de descoberta em que fiquei a saber coisas como o facto da tesoura em forma de cegonha mostrar um bebé quando aberta, porque supostamente servia para estrangular (era assim que estava escrito) o cordão umbilical e deveria ter sido a tesoura utilizada no nascimento de D.Carlos, ou aquele cogumelo invertido transportado por sapos, ser um acendedor de charutos. 
Foi o momento em que a história dos objectos contaram histórias de vida e voltaram a brilhar.
Depois desenhei a sala onde estava a vitrine, enquadrando-a no ambiente, e achei que a imensa alegria que os objectos sentiram por serem novamente admirados dava uma história.


10 comentários:

Alexandra Baptista disse...

QuE bonito Celeste, gosto muito.

Mário Linhares disse...

Estás duas páginas estão incríveis! E que criatividade no texto da sala verde!!!

Anónimo disse...

Celeste,
muito muito bom.
Os objectos, o espaço, o texto.

JVN

Ketta disse...

Celeste, deixa-me dizer-te que a vossa conversa (quase deitadas) no chão inspirou-me para criar a minha história na Sala Verde.
Vocês estavam mesmo a divertir-se à grande com a Fátima!
Claro que os resultados das tuas páginas só podiam ser assim: magníficas!
O desenho da sala verde, a história giríssima dos objectos e a composição da dupla página deixaram-me de boca aberta!
Uau mesmo!

Pedro Alves disse...

Boa Celeste! Páginas fantásticas estas ;) Nem sempre comento mas tenho acompanhado a sua grande evolução com entusiasmo. Continue ;)

nelson paciencia disse...

Pois eu hoje não fiquei de boca aberta, que já tinha visto estes desenhos magníficos naquela quarta feira.
Mas não sei se estava preparado para ver o quão fantástico ficou o desenho da sala verde depois de pintado. Ficou lindo! O texto transporta-o para outra dimensão, aquela que acho que só a criatividade das palavras bem arrumadas o permite.
Os teus dois desenhos ficaram incríveis, e não me canso de olhar para eles.

Suzana disse...

Que maravilha Celeste, a Sala verde está mesmo bonita, e com um texto fantástico :)

DiasVanda disse...

Que páginas fabulosas ... e que palavras boas de ler! Keep going ... MUita bommm!

Filipe Pinto disse...

Parabéns Celeste. Está TUDO ótimo.

teresa ruivo disse...

Sempre a arrasar Celeste ;) Parabens