Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

terça-feira, 11 de abril de 2017

Jardim das Amoreiras

Sabe sempre bem deliciar os sentidos e dar de beber à saudade.
Voltar a Lisboa e deambular por ruas esquecidas tem sempre algo de apetitoso, ao descobrir detalhes e elementos novos, recordar momentos e desfrutar de lugares que se tornaram eternos.
Desenhar enquanto se espera é o melhor que se pode fazer quando o ambiente nos envolve.

3 comentários:

Rosário disse...

Lindíssimo!

Rita Catita Afonso disse...

Bruno, que sensibilidade... Um dos meus sítios preferidos de Lisboa.

Teresa disse...

O ambiente e a luz do jardim, como os sinto. Perfeito!