Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sexta-feira, 31 de março de 2017

Faro

Volta não volta volto aos passeios na Ria de Faro.
E já apetecem. Nunca mais chega o verão...

São Quintino III


Mesmo com casa cheia, é possível reparar nos pormenores que fazem desta igreja paroquial de Arruda dos Vinhos a "irmã" de São Quintino, não muito longe dali. Muito provavelmente, os pedreiros que a fizeram foram os mesmos que, com um desfasamento de uma ou duas décadas, ali deixaram aspectos que ainda hoje identificamos como manuelinos.



Se houver dúvidas, repare-se nas colunas da nave. Têm uma corda a meia altura, tal como em São Quintino. O significado destas cordas é incerto. Paulo Pereira, num livro que acabo de ler, refere que pouco terão a ver com as cordas dos navios dos descobrimentos. Podem, sim, evocar a ideia de união, a mesma união que ainda hoje vemos naqueles que enchem a igreja.

Museu Roque Gameiro

Gostei de ir a Minde ver o museu. Quando mudar a exposição lá voltarei para admirar mais aguarelas de Roque Gameiro.
Leonor Janeiro

Agenda dos Sketchers - Abril 2017

Editorial

Abril arranca extraordinariamente, com uma oficina e uma conferência do Norberto Dorantes na Casa-Museu Vieira da Silva e com a Assembleia Geral dos associados USkP, logo no dia 1. Tanta actividade quase parece mentira!
Os dois livros que estavam em preparação estão finalmente no mercado. O Portugal por/by Urban Sketchers da Zest, e o Porto por/by Urban Sketchers são dois grandes marcos da nossa actividade nos últimos anos. Convidámos o Nuno Seabra Lopes a contar-nos como foi o lançamento do primeiro. O segundo será lançado no Porto no dia 8. Não percam!
Pedro Cabral é o artista convidado por Abrantes para expor os seus Cadernos de Viagens. Foi também ele um dos responsáveis pela exposição em Minde dos desenhos feitos nos passos de Roque Gameiro pela Lisboa Velha, que ainda está patente e não fica longe de Abrantes.
Bons desenhos!
A equipa da Agenda

AGENDA DOS SKETCHERS
Abril 2017

Portugal, por Urban Sketchers
Por Nuno Seabra Lopes

É díficil reunir tantos urban sketchers e tantos locais num só espaço. Quando esse espaço é de papel torna-se mais fácil, por ser o território de quem desenha e de quem, como nós, publica.
Foi assim que no passado dia 24 de Março nos reunimos num dos locais mais desenhados de Lisboa, o Mosteiro dos Jerónimos (Museu Nacional de Arqueologia), para durante algumas horas vermos o livro Portugal, por Urban Sketchers, assim como os pósteres que nasceram dessa publicação. Foram dezenas os autores presentes e muita a conversa e a troca de autógrafos. De entre todos, recordo-me do Duarte Martins, um dos mais novos Urban Sketchers, agora com 8 anos, a dar a sua primeira entrevista a um canal nacional (SIC) enquanto mostrava ao mundo o seu precoce talento.
Neste encontro, onde infelizmente ninguém foi visto a desenhar, encontraram-se sketchers de norte a sul do país, incluindo as ilhas, alguns deles aproveitando para finalmente se conhecerem pessoalmente. Ficámos felizes por poder, assim, juntar pessoas não só em livro e pela sua paixão pelo desenho, mas também num belo convívio de final de tarde.
Desenhar o “caos” com Nuno Saraiva, um ilustrador político
Por Rita Caré
Nuno Saraiva foi o convidado da actividade “Um Ano a Desenhar para o Futuro 2017”, em 4 de Março de 2017, na Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva. Uma das suas actividades principais tem sido a de ilustrador em quase todo o “mundo” editorial Português.
Considera-se um ilustrador político e tem vontade de partilhar o passado dos lugares em desenhos e dessa forma contar histórias sobre o que já desapareceu. Defende que nem tudo o que desenhamos deva ser partilhado e que é importante guardar “tesourinhos” e segredos.
Desenho de Paula Cabral
Nuno Saraiva partilhou a sua “primeiríssima” incursão no diário gráfico, em 2008, para uma entrevista com Miguel Esteves Cardoso à revista Visão. Nessa reportagem desenhou o almoço da entrevista, incluindo o escritor, as loiças, o empregado de mesa, textos com pedaços das conversas e comentários seus (considera importante inclui-los para que o desenho se torne uma memória viva).
Uma viagem desenhada a Luanda (Angola) também esteve em grande destaque com a partilha de desenhos e muitas histórias. O ilustrador contou do que gostou, do que o afligiu, das peripécias e de como o caos de Luanda o marcou.
Foi exactamente o tema do “Caos” a proposta para desenhar de seguida no Largo do Rato.
9º encontro Oeste Sketchers-USkP
Por Pedro Alves

No passado dia 11 de Março os Oeste Sketchers-USkP organizaram um encontro há muito esperado: Forte de São Miguel Arcanjo, que beneficia da recente fama por ser a primeira testemunha das ondas gigantes da Nazaré. Como já vem sendo hábito nos encontros da região, aos sketchers juntaram-se também alguns aguarelistas de renome no nosso país que também partilham esta paixão de desenhar e pintar in loco. Num dia de muito vento e algumas nuvens, concretizou-se mais um belo encontro que se prolongou até ao final da tarde e com resultados de grande nível! Os Oeste Sketchers e os Aguarelistas de Portugal voltarão a reunir-se muito em breve, estejam atentos. 
Museu da Aguarela Roque Gameiro e os Urban Sketchers Portugal
Por Rita Catita
Quando se atravessa o portão, invade-nos uma sensação de passagem para outra dimensão. Um jardim cuidado, todos os elementos ordenados de forma harmoniosa e uma acústica que dá ao espaço um carácter secreto. A plateia de cadeiras alinhadas lembra-nos que algo mais terreno está para acontecer.
O encontro estava marcado para as dez da manhã. Depois de vários meses a invadir o blog USkP, as recriações das estampas do livro ‘Lisboa Velha’ iriam ocupar as paredes da Casa dos Açores, onde está instalado o Museu da Aguarela Roque Gameiro (MARG). O Torreão, edifício agora recuperado e de presença imponente no jardim, receberia também parte das obras. A expectativa reinava entre aqueles que se deslocaram a Minde, no dia 18 de Março, para ver a exposição, uma iniciativa apoiada e coordenada pelo MARG, pelo CAORG (Centro de Artes e Ofícios Roque Gameiro) e pela Associação USkP.
Desenho de Luís Gabriel
Durante todo o dia desenhou-se, respirou-se a vida e obra de Alfredo Roque Gameiro e aprenderam-se códigos secretos – o Minderico, um sociolecto adoptado desde o sec. XVII, por comerciantes e artesãos, com o intuito de garantir a alma do negócio das mantas de lã.
A Presidente de Câmara de Alcanena, Fernanda Maria Pereira e a Directora do Museu da Aguarela, Maria Alzira Roque Gameiro, deram-nos a honra da sua presença. Às três da tarde, assistiu-se à inauguração oficial da exposição ‘Roque Gameiro Lisboa Antiga’. Verificaram-se uns discretos acotovelamentos para a apreciação dos 83 desenhos, de 54 autores, que durante seis meses, interpretaram ao seu estilo a pintura de Roque Gameiro.
A plateia voltou a ter lotação esgotada para ouvir o coro local: Charales Chorus. Os lencinhos coloridos, das meninas do coro, alusivos aos padrões das mantas de lã de Minde e a pose alinhada dos coralistas encheram de música e expressão os cadernos dos sketchers.
Muitas foram as manifestações daqueles que estiveram em Minde, mas também dos que não puderam ir. Os desenhos e reportagens publicadas nos últimos dias falam por si e os comentários falam por todos:
“Outro encontro viria mesmo a calhar. Se não acontecer, terei de lá voltar”
“Deixei o meu banquinho em Minde. Temos de lá voltar”
“Eu que não pude ir, alinho quando quiserem voltar”
“Aos indesculpáveis faltosos, só resta organizar uma excursão”
A entrega e dedicação do Pedro Cabral, Pedro Loureiro e Luís Frasco a este projecto tornaram-no tão especial e próspero. O que nos apraz dizer: Este dia, definitivamente, ainda não acabou.
Entrevista a Duarte Martins
Duarte é o associado nº 128 dos USkP e, com nove anos, é o associado mais jovem. É aluno do 4º ano, já esteve em vários encontros, na companhia da mãe Sofia Gomes, e até já participou num Simpósio internacional. 
Duarte Martins visto por Sofia Gomes e Javier de Blas
Há quanto tempo desenhas?
Eu desenho há 2 anos e meio.
Comecei a desenhar porque a minha mãe me convenceu a ir aos encontros dos Urban Sketchers com ela. E eu aceitei. A primeira vez que desenhei conheci um professor, chamado Mário Linhares e gostei muito de desenhar com ele. E também conheci uma amiga da minha mãe chamada Teresa Ruivo. Vamos desenhar juntos muitas vezes e é muito divertido.
Há quanto tempo és USk?
Sou USk há um ano.
O que mais inspira os teus desenhos?
Gosto de desenhar as paisagens, as casas, a minha mãe, os meus amigos e algumas vezes, a minha própria casa.
O encontro USk mais marcante?
O encontro de Usk mais marcante foi o Simpósio de Manchester. Adorei e acho que foi muito giro.
Conheci muita gente e os workshops foram muito giros. Nos workshops prestei muita atenção, mas muitas coisas precisei de perguntar à minha mãe, porque apesar de eu saber falar mais ou menos inglês, as pessoas perguntavam-me coisas que eu não percebia. Adorei a festa final porque tocaram musica. Os músicos estavam mascarados de esqueleto e eu brinquei muito com um amigo bebé chamado Matias.  Quando voltámos para casa,  viajei durante quase 3 horas, outra vez. Conheci um amigo chamado Marcelo, um pouco mais novo do que eu. Passámos a viagem a desenhar e foi muito divertido.
Que materiais preferes usar?
Gosto muito dos cadernos que a minha mãe me faz, porque eu posso escolher a capa. Mas também gosto dos cadernos da amiga Ketta porque são muito bonitos. Gosto muito de pintar com as minhas aguarelas.
Queres colaborar com a Agenda dos Sketchers?
Estamos sempre à procura de histórias de encontros e actividades dos urban sketchers em Portugal. Se gostavas de ver a tua história aqui, pergunta-nos como podes fazer, enviando um email para uskp.regionais@gmail.com.

ACONTECE EM ABRIL

Lançamento

08-04 | Porto | Livro «Porto por/by Urban Sketchers» | Ponto M, Livraria Lello, USkP Norte e USkP
Encontro Nacional USkP no Porto, com a organização dos USkP Norte, resultou num livro, editado pela Ponto M, que será lançado nos Armazéns do Castelo. No local do evento estarão expostos alguns cadernos de autores publicados no livro.

Exposições

De 10-03 a 29-04 | Abrantes | Cadernos de Viagem de Abrantes | Pedro Cabral e Urban Sketchers | CM Abrantes e Biblioteca Municipal António Botto
Abrantes, cidade mais central de Portugal, lugar ideal de partida e de chegada, ou destino a descobrir em si mesma, será este ano palco de exposições de desenhos e cadernos de viagem, sendo uma coletiva, de dezenas de artistas portugueses, e uma individual de Pedro Cabral.
De 18-03 a 15-04 | Minde | Roque Gameiro Lisboa Antiga | USkP, Museu de Aguarela Roque Gameiro e Centro de Artes e Oficios Roque Gameiro
Alguns dos cerca de 280 desenhos resultantes do desafio Roque Gameiro Lisboa Antiga irão estar expostos no Museu de Aguarela Roque Gameiro. O dia da inauguração da exposição motivou a marcação de um encontro de diários gráficos no Museu e na vila de Minde, terra natal do aguarelista.

Encontros

01-04 | Açores | 20º Encontro USK Portugal - Açores | Urban Sketchers Açores - Jardim do Palácio de Santana
01-04 | Ria Formosa  | Encontros na Ria Formosa | Urban Sketchers Algarve
02-04 | Lisboa | Faculdade de Ciências | FCUL e USkP
De 08-04 a 09-04 | Castro Verde | 48º Encontro Évora Sketchers | Évora Sketchers
22-04 | Abrantes | Cadernos de Viagem de Abrantes | CM Abrantes e Biblioteca Municipal António Botto
De 29-04 a 30-04 | Óbidos | Viagens a Óbidos | CM Óbidos e USkP

Formação

01-04 | Lisboa | Um ano a desenhar para o futuro | Norberto Dorantes | Casa-Atelier Vieira da Silva
08-04 | Barreiro | Querido Barreiro | Henrique Vogado | Associação L1B
09-04 | Porto Brandão | Lisboa da outra margem | Richard Câmara | Gabinete de Dinamização Associativa
15-04 | Lisboa | Alfabeto Lisboeta: museus incomuns | José Louro | Padrão dos Descobrimentos

Desafio 77 - Cozinha

Participem com os vossos desenhos até 25 de Abril, marcando o post com a etiqueta "Desafio77"

Desafio 76 - Rua sem casas

O desenho mais comentado no desafio do mês de Março é da autoria de Rita Catita, que estudou o urbanismo nómada na Costa Vicentina.
Copyright © 2017 Urban Sketchers Portugal, Todos os direitos reservados
Este email foi-te enviado porque és associado/a dos Urban Sketchers Portugal ou coordenas um grupo regional dos Urban Sketchers.

Queres mudar a forma como recebes a Agenda dos Sketchers?
Podes actualizar as preferências ou anular a subscrição

Contacta a equipa da Agenda através do email uskp.regionais@gmail.com

Lições de Portimão

Ao ensinar numa oficina de desenho, acabo sempre por aprender algo no processo. Ou faço uma revisão dos meus processos de trabalho e experiências, recolhendo alguma sabedoria imprevista, ou relembro práticas e técnicas que já não uso há muito.



Na oficina que ensinei com o Pedro Alves no passado fim-de-semana em Portimão, os desenhos que fiz no domingo foram fortemente influenciados pelos desafios que lançámos aos alunos no sábado. Os Urban Sketchers Algarve e o Município de Portimão convidaram-nos para uma oficina de desenho de dia inteiro, e decidimos ensaiar um programa que já tinhamos preparado previamente. Chama-se "Narrativas da arquitectura e das pessoas que a vivem", uma oficina de dois capítulos que desafiou os participantes a 1) contar a história desenhada de uma peça de arquitectura em particular no centro da cidade, e 2) contar a história da relação dessa peça de arquitectura com as pessoas que a usufruem. Estes desafios tinham de ser cumpridos usando técnicas visuais simples, como planos assimétricos, perspectiva de dois pontos de fuga e contrastes entre planos.

Enquadramento da história para maior enfoque
Primeiro plano e plano de fundo a destacar a história no plano médio
Mantendo a linha de horizonte ao nível dos olhos, ou do rabo 

A personagem central no primeiro plano, pessoas e arquitectura no plano de fundo
Uma professora local decidiu inscrever a sua turma de alunos de arte de 15 anos, e provou ser um desafio e pêras para o Pedro e para mim! Queremos acreditar que foi uma experiência recompensadora tanto para nós como para os participantes. O Pedro conduziu o primeiro capítulo, focado na arquitectura, e eu conduzi o segundo, focado nas pessoas a relacionarem-se com a arquitectura.



No domingo, os Urban Sketchers Algarve juntaram-se para desenhar Portimão debaixo de um céu nublado e chuvoso. Juntei-me a alguns dos alunos, abrigados pela grande caixa de vidro em frente à Câmara Municipal. Com a companhia deles como recordação dos exercícios do dia anterior, os meus desenhos tornaram-se mais rápidos e soltos, com o enfoque e direcção que se pretendia.



A patuscada com todos ao almoço na Porta Velha fechou o encontro de desenho.

Aeonium Arboreum "Black Rose"




A favorita cá da casa.
Talvez por ser a primeira planta a partilhar o mesmo espaço e ambiente que nós. 
Foi um prenda de aniversário e faz 6 anos que a temos!
É daquelas prendas bonitas que duram muitos anos se assim quisermos!

Margem Sul do Tejo

Portinho da Costa


Desenhando no Ferry


Ultimamente, para quem viaja de barco no Tejo, tem havido problemas com os horários e falta de embarcações. As pessoas andam sempre a correr para apanhar o barco que fica logo com a lotação esgotada e torna-se difícil seguir qualquer horário. Com isto, muitas vezes o Ferry vai tão cheio que prefiro ir de pé. Tem as suas vantagens, especialmente com um caderno à mão.