Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

O Humor e a Religião

O Teatro São Luiz apresenta um conjunto de sessões dedicadas a conversas entre o Humor e temas tão diversos como a Música, Política ou Religião, com a condução dos humoristas Ricardo Araújo Pereira e Bruno Nogueira. A de hoje foi dedicada à relação difícil entre o Humor e a Religião, numa hora e meia que me pareceu sempre tensa e com alguns limites. Talvez não limites, mas algum temor, o mesmo que se tem a Deus. Os convidados eram o Padre e poeta José Tolentino Mendonça, a coordenadora da instalação do Museu Judaico de Lisboa Esther Mucznik e o Sheik David Munir, Imã da Mesquita Central de Lisboa. 
O aviso inicial do desligar os telemóveis, e a proibição de fotografias ou registos vídeo ou audio, deram o mote para o desenho. Os convidados e as conversas fizeram o resto.





7 comentários:

teresa ruivo disse...

Puxa! Que desenhaço!!

Rosário disse...

Mesmo bom!

Eduardo Salavisa disse...

Sempre conseguiste desenhar. E dá bem a ideia. É difícil seleccionar o que escreves, não?

Luis Gabriel Marques disse...

Estás cada vez melhor. Belo desenho!

Pedro Loureiro disse...

Bestial!

Suzana disse...

Está tão giro!!

L.Frasco disse...

Tá um arrazasso!!