Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

L de Locomotiva, V de Vicente no K... e M de Mala de Revisor



O último encontro dos Urban Sketchers Portugal e dos Ribatejo Sketchers, com comboios e outras mini-pérolas do Museu Nacional Ferroviário, foi extraordinário. Não apenas pelos mais de sessenta participantes vindos de diferentes regiões de Portugal - do Norte ao Alentejo - e pelo almoço amavelmente oferecido pela Ordem dos Arquitectos, mas sobretudo pelos gigantes ferroviários maravilhosos que nos aguardava. Estavam mesmo a "pedir" para os desenharmos.

Ninguém diria que os sketchers são pessoas sociáveis pelo silêncio do ambiente rabiscatório, aparentemente quieto, com que que os visitantes "normais" se deparavam ao chegar à rotunda das locomotivas. Se tivesse desenhado o grupo naquele momento teria colocado umas nuvenzinhas de fumo a sair de todas as cabeças e da ponta das suas canetas a rabiscar avidamente parafusos e perspectivas dificílimas!


Primeiro explorei as diferentes zonas do museu para perceber as possibilidades e conhecer o espaço. Só depois decidi sentar-me em frente a esta locomotiva para evitar meter-me em grandes sarilhos. Era das locomotivas mais pequenas. Desenhei-a assim de lado e em contraluz para evitar ver detalhes. Confesso! Evitei enfrentar qualquer perspectiva desesperante no meu caderno.

Houve muitos sketchers que o fizeram e os resultados fabulosos já estão aqui no blog, nos blogs de outros grupos de sketchers e nas redes sociais de cada autor. Não se esqueçam, por favor, de publicar os vossos posts com a etiqueta: Museu Ferroviário - Entroncamento



Durante o almoço desenhei um clássico: o Vicente! Só agora reparo que ele parece estar a cair de sono para dentro da sopa... Mas gosto muito do resultado da camisola... 




Para finalizar o meu dia dediquei-me ao que mais gosto no urban sketching: composição de pequenos objectos preciosos na dupla página e aguarela.



P.S. Este caderno é também ele uma pérola.
É uma antiga agenda desusada, oferecida pela Teresa Ogando,
que estou a adorar usar com aguarela.



2 comentários:

Suzana disse...

Está muito bonita esta última dupla página dos pequenos objetos, adoro a mala! Tenho tanta pena de não poder ter ido...

USKP disse...

Gosto mesmo muito destas páginas, desenhos e humor :)
Celeste Vaz Ferreira