Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

A Casa das Sementes

É por nome que é designado este estabelecimento que data de 1935, uma época em que na Praça da Figueira se localizava o mercado abastecedor da cidade. Hoje em dia vende sementes de legumes e flores. É um dos locais por onde passam diariamente os tours turísticos da cidade e eu própria, já que o meu escritório fica num primeiro andar mesmo na esquina em frente. Foi assim, com este desenho, que hoje comecei o meu dia: a ver a menina de avental às riscas verdes varrer a entrada da loja, depois a baixar os toldos com uma manivela, enquanto os clientes e turistas começavam a chegar... Falta só dizer que é uma das lojas onde gosto mais de entrar. Vale a pena uma visita para desenhar e não só!


6 comentários:

Manuel Tavares disse...

Que ponto de vista e perspectiva previligiada :)
Muito bom, Fernanda.

Procópio António disse...

Está muito bom! Gosto imenso da perspectiva

nelson paciencia disse...

Adoro a perspectiva!

Patricia Ferreira disse...

Bela perspetiva! Um postal perfeito!

Rodrigo Briote disse...

Também gosto

USKP disse...

Que bom que está!
Celeste Vaz Ferreira