Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Roque Gameiro e as suas casas


Tinha apontado no mapa que o Roque Gameiro tinha estado nesta rua. Porém, à medida que me emaranhava no seu traçado labiríntico, temia não encontrar a casa exacta. Quando olhei para o contraforte de pedra e para estes balcões tão singulares, fiquei sem dúvidas: só podia ser esta! Era a casa mais singular de toda a rua, a única que estava ao nível de um Roque! À medida que a estudava, contentei-me com o seu estado de conservação. Deve ser das poucas casas que não perderam as características que em tempos encantaram o nosso admirado aguarelista. A única novidade são os turistas, que ensaiam selfies no balcão, mas quanto a isso, pouco há a fazer além de os desenhar...

6 comentários:

Miú disse...

Perfeita, a perspectiva. Lindo desenho.

Suzana disse...

Bonita a casa!

nelson paciencia disse...

Bom desenho!

Pedro Loureiro disse...

Os teus Roques estão cada vez melhores!

Membro USkP disse...

Que Perfeição! (com maiúscula!)

João Carvalho

Tomás Reis disse...

Muito obrigado a todos :)