Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Natal 2016


Neste Natal voltámos a uma velha tradição, a de passarmos todos juntos em família na nossa casa conjunta, o Casal do Facho no Varatojo. Os miúdos já cresceram e já não precisam das comodidades das nossas casas como trocadores de fraldas e quartos recatados para dormir sestas. A noite começou com o queijo da Serra e rapidamente continuou pelo tradicional bacalhau bem regado de um belo tinto, seguido pelos não menos tradicionais doces da época. Num ápice, era hora de abrir as prendas que o Pai Natal (o meu sogro disfarçado) foi entregar. A Lia ficou maravilhada mesmo com uma visita tão fugaz de um Pai Natal apressado e tímido, que tinha de fugir para poder entregar as prendas aos outros meninos a tempo... O Natal sem os miúdos não tinha a mesma piada certamente.

Mais desenhos no meu blogue, aqui.

1 comentário:

Teresa disse...

É tão bom quando ainda há crianças a acreditarem nessa magia do misterioso Pai Natal !

Feliz ANo 2017 !