Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

domingo, 15 de janeiro de 2017

Golfinho

Ontem a manhã de surf foi muito diferente do habitual. Estavam todos entretidos para cá e para lá entre uma onda e outra quando alguém grita: "GOLFINHO". Um golfinho bebé tinha dado à costa e estava preso nas rochas. Os mais velhos e o professor apressaram-se a recolhê-lo. Tentaram por duas vezes levá-lo para o mar mas este regressava sempre. Telefonou-se para a polícia marítima, para os bombeiros e para o Instituto da Preservação da Natureza. Todos Juntos e a trabalhar em equipa os miúdos levaram-no para beira mar. Mas o golfinho estava ferido. Os adultos munidos de telefone iam fazendo as suas chamadas mas ninguém vinha. Aconteceu o inevitável. O golfinho morreu. Foi uma sensação de grande impotência. O que poderíamos ter feito? Um miúdo gritava "Vou ser veterinário para puder saber ajudar" As miúdas choravam desconsoladas. Uma hora depois chegou a polícia marítima e tomou nota da ocorrência?!?!
Fica-nos na memória o que poderíamos ter feito mais?


1 comentário:

teresa ruivo disse...

Que horror! Que história traumática para os miúdos...E que trabalho inadiavel estaria a fazer a polícia marítima? Valham os teus (bons) desenhos. Devias mandar para um jornal.