Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Ary dos Santos escreveu (Carlos do Carmo fado)

Mar Ribatejo, maré cheia
O meu cavalo deslumbrou-se
E galopando pela areia
Bebeu o mar salgado e doce

É na Lezíria que nos cheira
A Maré viva dos esteiros
Água chorada a vida inteira
De homens que foram pioneiros
E mais não acrescento, porque desconcentra a alma e a vista do Miradouro da Srª do Pranto, fronteiriço à Ermida!

3 comentários:

Rosário disse...

desenho bem bonito! Que espaço!!!

Maria Celeste disse...

...gosto dos versos com desenho a condizer...

USKP disse...

Obrigado Rosário e Maria Celeste pelos comentários!
Sim, a noção de espaço neste miradouro é avassaladora!
E nada melhor do que recordar um grande poeta e publicitário português!
José Leal