Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sábado, 17 de dezembro de 2016

A lareira da avó

Em Alquerubim, terra dos avós da Inês, recuamos no tempo assim que entramos em casa. Uma das divisões de que gosto mais é a cozinha. As paredes guardam as memórias do cheiro a enchido  e do som da lareira.

4 comentários:

Maria Celeste disse...

...as memórias do cheiro revivas em azul...

teresa ruivo disse...

Tão bonita, tão rica!

nelson paciencia disse...

Que óptimo desenho!

Rosário disse...

Tão giras estas memórias desenhadas !