Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sábado, 12 de novembro de 2016

...um bocado da casa a partir do cadeirão (B3)...

...se quiserem comentar alguma coisa,gostaria que fosse no sentido crítico....,.
..é que gosto de aprender a melhorar...
 

8 comentários:

cláudia mestre disse...

A nossa própria casa é um mundo de coisas para desenhar!

hfm disse...

Um desenho que conta uma história que, cada um de nós, desenrolará - para mim, um dos pontos essenciais dos sketches.

L.Frasco disse...

Celeste, que maravilha estes desenhos de novo!
Gosto mesmo deste regresso!

Eduardo Salavisa disse...

Recomeçar devagarinho.

Teresa disse...

Experiências com grafite ! Gosto sempre de ver os resultados que se obtêm com este meio.

teresa ruivo disse...

Um comentário crítico é difícil, senão impossível, porque a reacção a este desenho é muito mais emocional que racional. E o que importa mesmo, mesmo, é que o prazer em desenhar está lá!E isso vale tudo:)

André Duarte Baptista disse...

sabe tão bem ver este desenho. bom regresso. bjs

Rosário disse...

Também acho que o importante é recomeçar! Gosto particularmente deste meio (grafite)!