Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Peugeot 404

Sempre que tenho tempo vou para Lisboa pela estrada nacional. Para além de poupar dinheiro na auto estrada, vou observando  uma vista menos monótona. E quando consigo sair de casa ainda mais cedo, vou fazendo umas paragens gráficas.
Já tinha passado por este carro várias vezes algures entre Alcainça e Malveira mas ainda não tinha conseguido o tempo necessário. A probabilidade de chuva começa a aumentar e não sei quando o seu dono o virá buscar, pelo que decidi fazer um desenho rápido. Tenho um caderno cujo papel faz a tinta alastrar, o que me deixa aborrecido, mas foi este caderno que comecei e tenho de me adaptar. Por isso escolhi desenhar com a BIC 16 m. Foram 10 minutos de frenesim em contra relógio. Como não podia esperar mais parti para o trabalho com um desenho feito a caneta e uma fotografia no telemóvel para pintar mais tarde.
Depois de jantar sentei-me e comecei a pintar. Ainda não percebi porque continuo a fotografar as coisas pois nunca utilizo essa referência. Prefiro utilizar a memória, viajar no tempo e no espaço e pintar o que ficou na minha cabeça.Como disse, o papel não reage muito bem ao líquido. Decidi arriscar ensopar tudo com água. Depois fui acrescentando aguarelas. Descobri que é assim que gosto de usar as aguarelas. Colocar as cores no papel e deixar que elas se encontrem.

11 comentários:

nelson paciencia disse...

Grande desenho!

Pedro Loureiro disse...

Do best! Flaf ficaria orgulhoso!

Pedro Alves disse...

Que máquina! O desenho e o objecto desenhado ;)

Rodrigo Briote disse...

Concordo, que grande desenho

Manuel Tavares disse...

"...é assim que gosto de usar as aguarelas. Colocar as cores no papel e deixar que elas se encontrem." Adorei esta tua frase, António. Muito bom o resultado final.

André Duarte Baptista disse...

Palavras para quê? Magnifico

Maria Celeste disse...

...fantástico...

Jrosa disse...

Magnífica aguarela! Só faltou acrescentar a etiqueta 'Florian'...

Maria Leonor Janeiro disse...

Que bonito desenho!
Leonor Janeiro

Marcelo de Deus disse...

Espetacular ! Espetacular !

teresa ruivo disse...

É um desenho de ficar a olhar...e a olhar...e a olhar..e a olhar...