Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

não quero perder o chão

   Só há pouco tempo descobri, lá para os lados de Alverca, um monumento às Linhas de Torres ... no alto de uma enorme coluna, um Hércules em pedra vigia o Tejo ... à sua volta um chão rendilhado tão nosso, tão português, tão regular na sua irregularidade. Lembrei-me do desafio e, não querendo perder o chão, lá o tentei trazer  no caderninho. Com a minha bebé Lamy rascunhei o mais rápido que pude. O céu ficou cinzentão e eu fugi, mas veio um bocadinho da calçada ( e que labiríntica que ela é). Não a percamos de vista :-)

6 comentários:

Teresa disse...

E o desenho na página do lado esquerdo ? Esse labirinto ? Isto dos desenhos obriga-nos a estar mais atentos ao que nos rodeia! Gosto do motivo da calçada!

Membro USkP disse...

Gosto do labirinto, que deve ter dado muito trabalho!

Rosa Parrot

Rosário disse...

O que se descobre!

Maria Celeste disse...

...gosto muito...

teresa ruivo disse...

Eu também gosto!

Marilisa Mesquita disse...

Tão fixe! :)