Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Inma & Miguel

O duo dinâmico Espanhol - Inma Serrano e Miguel Herranz - trouxeram a Lisboa uma oficina de desenho baseada no trabalho que fazem quando estão juntos. Apesar da Inma ser de Sevilha e do Miguel ser de Barcelona, eles desenham muitas vezes juntos, e fazem uma boa equipa!



Começaram por mostrar as abordagens diferentes que têm sobre os mesmos objectos de desenho. O Miguel emoldura os seus desenhos com rectângulos, como se contasse uma história de banda desenhada. A Inma deixa que as suas cores intensas e a sua expressividade contem as suas próprias histórias sobre os locais que visita. Vejam os seus trabalhos aqui e aqui.

O desafio que nos traziam foi o de contar diferentes histórias sobre o mesmo objecto enquadrando-os de formas diferentes. Tão simples como isso, e eficaz à brava! As histórias saltavam dos desenhos tão facilmente como estes entravam nas páginas.



Depois dos trabalhos, toda a gente confraternizou num restaurante próximo. Oportunidade para um desenho à volta da mesa.

8 comentários:

Rodrigo Briote disse...

Quase que se podia escrever um enredo à volta do 1º desenho

Pedro disse...

Lindas páginas. Tive imensa pena de não ir.

cláudia mestre disse...

Que grande post! Gosto muito dos desenho e do que escreveste.

nelson paciencia disse...

És miserável pá!

Pedro Loureiro disse...

Obrigado a todos! A ti também Nelson, hehe ;)

Henrique Vogado disse...

Formidável. A um passo da BD. Eu já experimentei este ano no concurso da Amadora BD. E é difícil.

teresa ruivo disse...

Realmente o primeiro está muito BD. E da boa:). E os teus desenhos de "mesas" nunca desiludem. Estão todos óptimos, mas o André...

Marcelo de Deus disse...

Que maravilha!