Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

domingo, 27 de novembro de 2016

Desenhando com Celia Burgos

Foi muito interessante desenhar após a explicação da Celia sobre os efeitos das cores quentes e frias nos ambientes que criamos. Esta divindade VUDO é quente o que , nesta época do ano, é uma benção. . Feita de lata e madeira a figura, à primeira vista distante, tornou-se numa divindade do bem e da concordia.
Leonor Janeiro


5 comentários:

teresa ruivo disse...

Uma boa aluna:))

Celeste Vaz Ferreira disse...

Que cores tão bonitas!

Membro USkP disse...

Que harmonia de cores vivas!
Mesmo ao estilo da professora :-)

Fefa

Ana Carvalho disse...

Excelente ideia, começar o ano com uma aguarela viva e alegre, representando uma divindade que idealmente nos trará um ano cheio de coisas boas e bonitas! Assim seja!
Ana Maria Carvalho

Ana Carvalho disse...

Excelente ideia, começar o ano com uma aguarela viva e alegre, representando uma divindade que idealmente nos trará um ano cheio de coisas boas e bonitas! Assim seja!
Ana Maria Carvalho