Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Uma manhã nos Clérigos


O Porto, ou como se diz em estrangeiro, Oporto, é a segunda maior cidade em Portugal. Apesar de Lisboa ser conhecida como a cidade das sete colinas (um saque a Roma?), o Porto é bem mais colinoso. Assente sobre a margem norte do Douro, a cidade escorre ao longo das encostas de granito escuro, através de ruas estreitas, arcos e algumas ruínas. Os Urban Sketchers Portugal Norte organizaram alguns percursos ao longo da cidade - cortes transversais ao melhor do Porto. A nossa viagem começou no Largo dos Leões, olhando para a torre da Igreja dos Clérigos, o ícone barroco do Porto.



O Passeio dos Clérigos, um centro comercial de rua a céu aberto, corta uma via contemporânea entre o Largo e a torre setecentista. Um jardim de oliveiras circulável serve-lhe de cobertura. Mesmo ao lado da Torre dos Clérigos, as ruas Campo Mártires da Pátria e da Assunção marcam a fronteira entre a cidade medieval e a expansão para além da muralha fernandina. Aqui, começam-se a notar os tradicionais alçados de rua Portuenses, com lotes estreitos e fachadas em azulejo.

4 comentários:

nelson paciencia disse...

Apetece escrever aqui: "desenhos fraquinhos, fraquinhos", mas não sou capaz. São do melhor que tenho visto, raios parta o rapaz...

teresa ruivo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
teresa ruivo disse...

As tuas cores têm vindo a tornar-se intensíssimas, super brilhantes e outros adjectivos que não me ocorrem agora, mas sempre no superlativo:)

Pedro Loureiro disse...

Obrigadios! :)