Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Traç/zo 16 - uma questão Ibérica #1


O Forte da Graça é uma peça de arquitectura militar única, construida na segunda metade do séc. XVIII, sob as ordens do Conde de Lippe, por necessidade de segurar o ponto mais alto da região, a norte da cidade. A importância estratégica do Monte da Graça, onde foi construido o Forte, tornou-se clara cerca de um século antes, durante a Guerra da Restauração, quando o exército Espanhol, a partir deste ponto sobranceiro, bombardeou a cidade de Elvas, cujo castelo se encontra a cerca de 60 metros abaixo do topo do monte. As suas muralhas, fossos e baluartes estão organizados de acordo com o modelo holandês de fortificação em estrela.



Este foi o cenário do Traço '16 - Festival de Desenho de Elvas, que durante quatro dias animou a velha fortaleza com exposições de ilustradores e autores de banda desenhada de ambos os lados da fronteira Ibérica, oficinas de desenho, palestras, uma performance teatral e um encontro nacional de Urban Sketchers.

4 comentários:

Fernanda Lamelas disse...

Gosto do teu retorno, pelo menos nestes desenhos, à suavidade tonal...

teresa ruivo disse...

Não ligues Pedro, são "bocas da reacção"!:))
Cá por mim usa todas as cores: suaves , vibrantes, tudo! É da maneira que os teus desenhos, para além de divinais, nos estão sempre a surpreender!

Pedro Loureiro disse...

Hehe! Obrigado a ambas, mas concordo com a Fernanda! Estava a precisar de um toque para baixo na saturação sob o risco de empastelar tudo ;) São fases

nelson paciencia disse...

Não estão maus...