Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Roque Gameiro - Beco do Castelo

Não queria deixar de participar na excelente iniciativa do Pedro Cabral, e assim fiz-me ao caminho para desenhar o Beco do Castelo. Procurei o mesmo ponto de observação usado por Roque Gameiro no desenho dele.




Enquanto desenhava, a interação humana foi constante. No sábado, mal acabo de me sentar e uma moradora vem ter comigo. Explica-me que está em curso uma campanha para restaurar o mural atrás de mim e pergunta se me pode filmar a desenhar. Podem saber mais sobre esta campanha.
Depois chega uma mulher acompanhada do pai e metem conversa. Fico a saber que já estiveram com os USk em Silves, e coincidência: o senhor conhece o Pedro Cabral e até tem um "Bonecos de Bolso" autografado.
No domingo a saga continua: os dinamizadores da campanha montam uma banca mesmo atrás de mim, para vender postais a quem passa. Compro 2 postais e ficamos a conversar. Entretanto, cada turista que passa é interpelado por eles e há mais conversa...
Tudo isso ficou fora do meu desenho, e já percebi que vou ter de contrariar esta coisa das "pessoas transparentes".

9 comentários:

teresa ruivo disse...

Límpido e desanuviado - Como eu gosto! :)

Marilisa Mesquita disse...

Gosto bastante! :)

Monia Abreu disse...

Gosto tanto do desenho!!!

Pedro disse...

Muito bom. E com história anexa. Vou procurar as pessoas.

Filipe Pinto disse...

Imagino as conversas que o Roque Gameiro teve. Bem apanhada a profundidade que as escadas transmitem.

nelson paciencia disse...

Que grande desenho Rodrigo!

Mário Linhares disse...

Cada vez melhor, Rodrigo, cada vez melhor!!!

hfm disse...

Belíssimo.

Rodrigo Briote disse...

Obrigado a todos.
Pedro: não perguntei o nome ao senhor, mas tinha 60 e tal anos e conheceu-te através do cunhado dele.