Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

POLAROID SKETCH

Existe uma velha discussão sobre as vantagens do desenho sobre a fotografia quando viajamos ou queremos retratar um local. Ao contrário da fotografia que é feita numa pequena fração de tempo ( entenda-se que considero a fotografia uma arte maior ), o desenho requer outro tempo de execução. Durante esse tempo podemos absorver o local e "digeri-lo" de uma outra forma. No entanto há situações em que esta diferença é diluida, quando o tempo para desenhar se resume a escassos  minutos. Chamo a esses desenhos Polaroid Sketches, desenhos instantâneos ( um pouco como os desenhos de semáforo da Patrizia Torres ). Os desenhos acima foram feitos na Arábia Saudita, durante uma viagem de autocarro entre o Conpound Al Yamama III e o Batha ( uma espécie de feira da ladra local ). 35 minutos e seis sinais vermelhos.

7 comentários:

Eduardo Salavisa disse...

Excelentes apontamentos.

Pedro disse...

Boa! Desenhos à metralhadora, mas com muita pontaria.

Rita Caré disse...

Adoro os teus desenhos poloroid!

Suzana disse...

Muito bom, gosto do conceito!

Andreia Santa Maria disse...

Adoro o conceito e os desenhos! :)

Mário Linhares disse...

É assim mesmo!

José Louro disse...

Fixe!