Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Society of Illustrators, NYC


Em Nova Iorque, durante o mês de fevereiro, na Society of Illustrators, não aguentei mais desenhar só com tinta da china e tirei o meu caderno pequeno para colocar cor nesta sessão de modelos.


Havia uma modelo tão aborrecida nas poses que tive de me propor desenhar o mais rápido possível, começando com uma mancha vermelha para o vestido e linhas para o corpo, para me divertir um bocadinho.


Sentia-me em dupla personalidade: tinta da china no caderno grande + aguarela, lápis e caneta no caderno pequeno de bolso.

A história completa desta sessão de modelos pode ser lida no meu blog, aqui.

6 comentários:

Membro USkP disse...

Gosto particularmente do último: traço, mancha, pormenor do vestido.
Celeste Vaz Ferreira

teresa ruivo disse...

Estão óptimos! E têm um ar de 'pecado':)!

Luís Ançã disse...

Comecei a correr os desenhos atentamente e pensei «olha que desenhos tão fixes, de quem serão?». A tua capacidade de surpreender é constante.

nelson paciencia disse...

Adoro o último desenho! o pormenor da mão pousada no banco e a mancha vermelha que varre a senhora aborrecida de cima a baixo. Óptimo

Henrique Vogado disse...

Li primeiro o post no teu blog e esperava ver os desenhos com cor que referiste. E aparecem aqui. Incrível como uma mancha dá tanta força aos traços.

Rosário disse...

Gosto da combinação da linha e da mancha!