Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Porto.

Ainda há pouco tempo descer a rua Escura era uma aventura cheia de coisas inesperadas algumas não muito simpáticas. Agora só umas pombas faziam uns voos rasantes e magotes de turistas não me deixavam fazer o desenho tranquilamente.


3 comentários:

João Santos disse...

Um estilo inconfundível. Adoro a simplicidade das gaivotas eheh

teresa ruivo disse...

Por tudo há um preço a pagar... Uns acham que vale a pena, outros não! Mas de certeza que todos gostam deste desenho cheio de vida e de cores quentes:)

Pedro Loureiro disse...

Muito bom! O candeeiro até brilha!
E usaste a marca da cidade para o título, com ponto final e tudo!