Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Museus Incomuns

Alguns dos melhores momentos que passei a desenhar aconteceram em museus. Apesar de alguns terem aderido à provinciana moda do "não se pode desenhar", dos restantes - mais de cinquenta em Lisboa - ainda há muito para explorar. O desenho abaixo foi feito há uns anos no Museu Nacional de Arqueologia. É, para mim, um desenho importante porque utilizei pela primeira vez o marcador preto de uma forma que, alguns dizem, é a minha imagem de marca.


Agora na 3ª edição do Alfabeto Lisboeta, dedicada a 26 Museus Incomuns, vou revelar "alguns dos melhores momentos que passei a desenhar", partilhando técnicas, abordagens, recursos e segredos de alguns museus menos conhecidos de Lisboa.

Informações, inscrições e programa; linhares.mr@gmail.com