Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

domingo, 25 de setembro de 2016

(a)Riscar o Património em Lisboa

(a)Riscar o Património em Lisboa - Comunidades e Culturas.
Entre o Largo do Intendente e o Martim Moniz.
Largo do Martim Moniz.

7 comentários:

nelson paciencia disse...

Que desenho óptimo Jorge!
Simples e complexo ao mesmo tempo. Até o pombo que busca algo onde parece não existir naquele par de homens. Muito bom.

Mário Linhares disse...

Engraçada a linha do fumo do cigarro a misturar-se com a do arbusto.
O pessoal ali tem esta calma que o desenho consegue transmitir!

jorge vila nova disse...

Obrigado Nelson
:-)

obrigado Mário
:-)

devia ter ido mais cedo para o Martim Moniz..

j

teresa ruivo disse...

Gosto de desenhos assim, que fazem pensar nas rotinas quotidianas das pessoas...muito bonito!

Filipe Pinto disse...

Bem captada a descontracção do ambiente.

Rodrigo Briote disse...

Uma cena banal transformada num desenho interessante

Rosário disse...

Desenhar pessoas é sempre um desafio compensador!