Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

A riscar a Cerca Velha em Évora

Na edição deste ano do (A)riscar o Património os Évora Sketchers foram desenhar a Cerca Velha, as muralhas mais antigas da cidade.
Construída e reconstruída por vários povos que por cá passaram (romanos, visigodos e islâmicos) a cerca defendia e limitava a cidade, estabelecendo também uma linha de hierarquia bem visível.
Quando a cidade cresceu as muralhas foram ultrapassadas, ocupadas e fundiram-se com o próprio casario. Alguns troços permaneceram intactos, outros desapareceram por completo e outros ainda vão aparecendo timidamente por entre a paisagem urbana, passando despercebidos aos olhares menos atentos ou a quem não os procura.
O arco de D. Isabel É a única das entradas que ainda subsiste, de origem romana.  Por aqui se fazia a ligação da cidade aos povos (mouros e judeus) que entretanto se foram instalando no exterior da cerca.
Mais tarde a mouraria e a judiaria acabariam por ser integradas na cidade, quando se construiu a Cerca Nova.

3 comentários:

nelson paciencia disse...

Ó pá, gosto muito do desenho do meio! Muito mesmo.

André Duarte Baptista disse...

Muito bom. o último está fantástico!!!

Rosário disse...

Também gosto!