Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

A primeira folha

Adoro estrear cadernos, e os A6, sempre faceis de transportar, acabam por ser os que mais utilizo. Mas mesmo nestes cadernos de bolso, onde por vezes tenho mais rascunhos e pedaços de coisas imcompletas, a primeira folha costuma ser sempre uma pressão extra. Quase como o primeiro mergulho na água fria. Felizmente desta vez, inspirei e lancei-me a registar esta mãe e o seu bebé que me acompanhavam no 767. Depois foi aproveitar o embalo e, já na estação do metro, mais um lisboeta com a cara enfiada no telemóvel.




5 comentários:

teresa ruivo disse...

Engraçado, ver sobre o que recai agora o teu olhar...

Maria Celeste disse...

...que belo inicio de caderno...

nelson paciencia disse...

Grandes desenhos!

Rosário disse...

Desenhos fantásticos!

Marcelo de Deus disse...

cada vez melhores