Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

3 cães e um dono



Dois cães conhecem-se até que aparece um terceiro cão com um dono potencialmente perigoso :-)
(desenhos a marcador sobre guia de scanner)

na ilha da Madeira

 


Na ilha da Madeira, junto à estátua do navegador João Gonçalves Zarco, que em 1418 descobriu este arquipélago, juntamente com Tristão Vaz Teixeira, uma viagem para explorar a costa de África, com destino à Guiné, a mando do Infante D. Henrique, em que terão sido arrastados para a ilha de Porto Santo.
O edifício do Banco de Portugal é da autoria do arquitecto Edmundo Tavares e foi inaugurado em 1940. As cantarias são em pedra de origem vulcânica, numa cor cinza muito escuro que contrasta com a pintura branca das paredes.

Habermas

Jurgen Habermas esteve na Gulbenkian.
Infelizmente não consegui perceber nada, um inglês com sotaque e o mastigar das palavras tornaram impossivel acompanhar a conferência.

Ericeira

Uma visita à Ericeira deu-me mais uma oportunidade para me sentar num muro a desenhar, treinar a perspectiva, e experimentar a definição dos planos através da cor.
Tenho andado entretido a usar a tinta cinzenta para os planos mais afastados, e aqui decidi também aplicar uma aguarela com tonalidades mais suaves.
Ultimamente as decisões que vou tomando nos desenhos surgem no momento, à medida que vou vendo a sua evolução no papel, e se for preciso uso canetas diferentes no mesmo desenho sem ter que pensar muito no seu efeito, que era algo que não fazia no inicio.
Efectivamente não há dúvida que o que é preciso é praticar, e com a prática as decisões no desenho vão-se tornando fluídas, quase como se fossem a ordem natural das coisas.



Não resisto a deixar aqui um link para um video que me deu ainda mais motivação e que tem uma mensagem muito simples que recordo frequentemente:"skecth, sketch, sketch". http://vimeo.com/50362507

petiscar

Num espaço bem agradável, que reabriu na "Padaria do Povo", pode-se petiscar sem gastar muito dinheiro!
 
 
 


Dois sketches feitos ontem de manhã antes do workshop com o João Catarino na Culturgest.

Dois pormenores o primeiro da Caixa Geral de Depósitos e o segundo do edifício que fica no topo da Rua do Arco do Cego.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Xadrez joga-se em qualquer lugar.


No passado domingo, no parque infantil que fica junto ao Tejo, no Barreiro, assisti a uma cena muito gira. Uma demonstração de xadrez improvisada para os miúdos verem como se joga. O clube de xadrez do Barreiro fica mesmo ao lado do parque e pude ver a passarem uma mesa com tabuleiro pela janela para depois entusiasmarem os miúdos. A minha filha também foi espreitar. Uma boa iniciativa.

Largo do Collegio, Évora

Évora é mesmo uma cidade fantástica.

Peter's Horta Faial Açores



Pessoas




Há muito que não me ocupava com pessoas. Os dois primeiros ocuparam-me 10 minutos cada, a terceira cinco e o último dois. Aqui estão, no total, 27 minutos da minha vida.

O Eurico

A caminho do castelo podemos contar com O Eurico para matar a fome e encontrar um amigo.
Simples e verdadeiro, em risco de desaparecer fruto de alguma requalificação.

Estacionamento


Afinal para que é que servem os guias e livros de garantias de muitos aparelhos que temos em casa :-)

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Castelo Branco

Work in progress, Como desafio pessoal,  propus-me desenhar, lentamente, um dos edifícios emblemáticos  aqui de Castelo Branco. 
Mas... acabou-se o papel e ficou apenas uma pequena parte dele  
tenho de fazer um caderno muuuiiitooo maior para estas empreitadas.



Adeus Adega dos Lombinhos

Amanhã é o últim dia em que estão abertos.
Todo o prédio foi vendido e vai ser transformado num hotel de luxo. Graças à nova lei das rendas, os antigos inquilinos têm de sair.
Reabilitar/Requalificar signifca limpar a Baixa daquilo que a faz única.
Adeus iscas, as melhores em Lisboa.

Teatro por Escrito/Artistas Unidos



Textos de Dimítris Dimitríadis lidos por Jorge Silva Melo, John Romão e música de Tiago Cerqueira.
Num dia de chuva, o aconchego dos Artistas Unidos.

Açores

 

O monte Queimado na Horta do lado virado ao Pico.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Paços do Concelho de Montemor-o-Velho


Já algum tempo (desde que terminaram as férias de Verão) que não colocava aqui um desenho. Neste sábado esteve um dia de Outono agradável. Que um passeio e um cafezito na esplanada toca a sacar do material de urban sketcher e pronto....

BAR CRU 7/10/2013 - DESENHOS CRUS...

                                             
                            Dança japonesa pela Raquel

 
              Dança expressionista pela Telmaa

Olhos nos olhos

No dia 26 comecei o dia a olhar-me no espelho, olhos nos olhos.

Açores

 
 

 


Dois desenhos feitos no mesmo dia; curiosamente num dos poucos dias nublados que apanhei nos Açores este ano.

O primeiro feito no exterior da fábrica da Baleia junto ao arco onde atracavam os barcos que traziam a baleia que era içada por ali acima. Hoje, há um conjunto de pedras a bloquear a entrada.

A outra já fora do Museu, virada ao Pico, as fortificações da II Guerra Mundial.

Alfeizerão

Pão de Ló de Alfeizarão a marcador Sakura Pigma Micron 02 e Canetas de Feltro

domingo, 27 de outubro de 2013

A vida num só dia

Gosto destes desenhos assim, todos juntos, porque só assim fazem sentido. O quotidiano de uma escola é uma amostra do mundo lá fora. Do mundo urbano. É talvez o espaço, dentro da cidade, que melhor representa a noção de urbanidade. O seu ritmo é medido ao segundo e a sua dinâmica absolutamente condicionada por regras pré-estabelecidas. Tudo o que acontece, acontece imitando a realidade, urbana, mas em modo concentrado. Um dia numa escola tem um princípio, meio e fim. Desenhar esse quotidiano é desenhar a vida como ela é e vai ser.  

Alcobaça

A praça do mosteiro de Alcobaça, num domingo de manhã pincelado por um sol maravilhoso de outono.


Açores

 


Uma dos lados da marina da Horta.

26 de Outubro - Manifestação que se lixe a Troika, Queremos as nossas vidas!

É díficil desenhar multidões em movimento, por isso escolhi esta senhora. Criativa e inconformada nos seus 60 anos, tirou a tarde para estar ao lado dos Portugueses que não aceitam o estado das coisas.
"Pelo sonho é que vamos,

comovidos e mudos.
Chegamos? Não chegamos?

Haja ou não haja frutos,

pelo sonho é que vamos.
Basta a fé no que temos.

Basta a esperança naquilo
que talvez não teremos.

Basta que a alma demos,

com a mesma alegria,

ao que desconhecemos

e ao que é do dia a dia.
Chegamos? Não chegamos?

- Partimos. Vamos. Somos."
de Sebastião da Gama.

No Seixal com L1B e Manuela Rolão - Parte II



A caminho do Seixal pelo rio

Receámos chuva...
Inesperadamente gostei do efeito!

O último desafio ficou por terminar noutra visita...


Depois fiz de conta que não tinha que regressar e arrastei-me nas horas...


Nos duelos à beira-rio ao lado do estaleiro

Nos duelos à beira-rio ao lado do estaleiro
Abancados entre rochas e água a ouvir uma banda que afinal não era a Tocá Rufar

Mesmo antes da partida houve tempo para a rotunda que ficou por rabiscar na semana passada