Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Um dia em Cascais

 
 

 

 

 

 

 

 
 

Estive fora uma semana e um dos dias fui até Cascais especificamente para ir à Casa das Histórias ver e ouvir uma palestra sobre os trabalhos preparatórios de Paula Rego para os seus quadros.

Ficam aqui os desenhos que fiz ao longo desse dia com paragem obrigatória no Parque do Beiçudo! Este é o único nome que conheço do Parque que fica em frente à Casa das Histórias e que vai dar ao Museu Castro Guimarães. O nome fui eu que lho dei quando, aí por volta dos meus 6 anos, passei dois verões em Cascais. O senhor que estava sempre a tomar conta da entrada do parque era muito mal encarado e eu passei a chamar-lhe o beiçudo e daí o parque, para mim, ter ficado sempre o Parque do Beiçudo.

De tarde o passeio no paredão que bordeja as várias praias até ao Estoril, é imprescindível para me recuperar da visão de alguns crimes arquitectónicos que se foram amontoando em Cascais. Ao menos o mar permanece imutável na sua força. Nele me pacifico.

6 comentários:

Maria Celeste disse...

...as arvores continuam lindas...

Ad astra disse...

e belos desenhos

Cascais inpirou-a

matilde disse...

lindos desenhos...

Manuela Rolão disse...

que belo dia, todo reportado em desenhos simples e eficazes!

Janine Fernandes disse...

WoooW! Fantástico!

Rosário disse...

Sempre as belas árvores que são sempre diferentes! Engraçado Parque do Beiçudo!