Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sábado, 30 de abril de 2011

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Benfica, 16h00

Ou seria algures na Noruega..? E de repente as ruas ficaram brancas, e boa parte da folhagem nova foi arrancada pelo granizo que caiu. Em Abril granizos mil?

Últimos Desenhos






Já não meto nada aqui há tanto tempo que pensei em partilhar os meus últimos desenhos aqui.
Não tenho conseguido participar nos Challenges, seja por o trabalho que estou a fazer não se adequar na altura, ou por não ter disponibilidade para participar.
Obrigada na mesma pela possibilidade de poder partilhar aqui os trabalhos, ficam então aqui desenhos que fiz da família :D

Vila Viçosa


O desafio era desenhar o hardware todo com uma cor e "os comeres" cou outra cor diferente.
O óptimo ensopado de borrego não foi a opção mais desenhável.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Processo.



...lembro-me bem de um challenge que foi o "processo"...adorei...gostei tanto que é uma das formas de desenhar que mais uso, trabalhando assim o desenho e a memória...o que eu gosto da memória enquanto desenho e tudo...a flôr é para ela :) AH

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Apontamento de viagens - Inglaterra - 2010










Na Cornwall os animais são uma presença constante, quer seja a enorme variedade de aves, principalmente, marítimas, que prolíferam em bandos, que muito gosto de observar e desenhar, e os cães têm um estatuto mto importante na vida dos ingleses, quer como fiel companheiro de solitários, quer como amigo inseparável das crianças, nas suas brincadeiras, mesmo que seja nas águas geladas do oceano. Os cães cruzam-se na rua uns com os outros como personagens de um filme, felizes com o seu papel muito bem estudado, e, não ladram nas deslocações urbanas com os seus donos.








A puxada

Apontamentos de viagem-Inglaterra -2010




































Penedo.


..esta foi a minha forma de rezar na vigilia pascal e na via sacra pelas ruas do Penedo...cada um tem a sua maneira, a minha ás vezes é a desenhar que estou mais emotivo...se tivesse estado ao som desta musica seria qualquer coisa de fabuloso... enfim...espero que a pascoa tenha corrido muito bem a todos... um abraço e saudades...

Apontamentos de viagem - Inglaterra- 2010









































As paisagens humanas são sempre uma tentação em deslocações demoradas. Bom desafio, pegar no bloco, na caneta e descaradamente Zás, alimentamo-nos com mais um desenho, mesmo que por vezes não resulte bem.

Challenge XLIII - Puxada

Puxada em estilo rodeo de dupla caixa, com calha de alumínio - Calhariz de Benfica

Olhando para certas e determinadas puxadas, admira-me que ainda haja luz ou sinal televisivo (ou o que raio que seja que aquele emaranhado de fios faz correr) nas casas. E que dependamos desta confusão de cabos de plástico deixados ao deus dará para confortos modernos.

Matas nativas - BRASIL


Uma pequena mata nativa em Rio Grande.

Uma goiabeira no meu quintal.


Um pouco do Brasil que eu gosto... Brasil rural, do interior de muita paz.

lll Encontro Viseu SketchCrawl

Este foi o meu contributo para o III Encontro Viseu SketchCrawl do passado Sábado dia 16 de Abril. Foi um grande dia. Estiveram cerca de 15 pessoas a desenhar na praça do antigo mercado 2 de Maio. Esteve um dia soalheiro. Esteve a decorrer ao mesmo tempo a feira de antiguidades, foi uma boa surpresa. Fica desde já, o convite a toda a gente de todas as idades para o próximo encontro.

terça-feira, 26 de abril de 2011

VILA VIÇOSA

O último exercício lançado: o desenho e o OUTRO.
GOSTEI MUITO!! é a D. Iria....
Domingo de Ramos. Dentro da Igreja tentava meter conversa com a senhora que escolhi para desenhar ....perguntei: por favor, é possível arranjar-me um raminho de oliveira?

Vila Viçosa


Ermida de S Bento e Janela do Terreiro do Paço


O largo do Chafariz d'el Rei, com a estátua da Públia Horênsia de Castro. Tentar combater os Hipopotamos - os Grandes espaços

Petisco sobre Laloran


O Bora é um café gostoso em Lagos que transforma ingredientes simples em combinações mágicas. Uma tosta não é uma simples tosta e uma azeitona vale mais que o normal. É a arte dos petiscos renovada. Aproveitei para inaugurar o pequeno Laloran edição da Exposição da Rua Augusta.

Desenho na praia

a saída noturna

À noite saímos para desenhar. Como era noite, apropriava-se muito bem o desenho cego. O desafio era simples. Acompanhar com linha o percurso do olhar sem olhar para o papel. Tudo muito lento. Quanto mais tempo demorasse melhor. Foram 5 minutos que pareceram uma eternidade...

Aproveitei para estrear o caderno laloran de folhas pretas.

À entrada do castelo ficámos todos em fila a olhar para as muralhas. Cada um desenhava como podia...

A igreja matriz de N. Sr.ª da Conceição. Aquela que fica dentro das muralhas. Está tal e qual...

A famosa bedford de caixa aberta, desta vez a olhar para o papel...
O último desenho do fim-de-semana. A que foi a grande fabrica da Sofal, agora restam algumas paredes...que pena que o nosso património fique entregue aos ratos...

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Vila Viçosa



Naquele momento tudo estava alinhado em direcção Seminário de S José, onde passamos três dias.
O construído (Zimbório da Igreja dos Agostinhos) o natural (cipreste) e a ferramenta (lapiseira).

Como não conhecia Vila Viçosa foi uma surpresa, quando estava a fazer este desenho em cima da muralha do castelo, ver mesmo em baixo, do outro lado da rua, a famosa "Casa do Nuno Portas" . Quando eu andava na Escola (ESBAL) foi um projecto muito discutido e analisado. Gostei imenso de a ver.
RETIRO EM VILA VIÇOSA - OS PARTICIPANTES







Vintecincodeabrilsempre

Cada cravo a um euro, comprei cinco.

RETIRO DE DG EM VILA VIÇOSA_I PARTE




Nesta postagem cingi-me aos seguintes quesitos do 2º. Momento Formativo, ocasionado em 16ABR11:
O registo efémero;
Da sarça ao quotidiano.
1.O registo das duas imagens está baseado em três suportes (extrato de texto oportunamente distribuídos, de documentários mostrados em filmes / you tube, seguido de debate e de trabalho de campo em VV).
2.Assim, neste meu desenho recorda-se um dos célebres episódio de Moisés - a cor da pele humana que referencia o contato com o fogo que não queima (v. y_tube); a mão rabiscada carateriza a capacidade de operar, de curar, de transformar cientificamente e com arte. Conotando com as imagens passadas em “sessão de cinema” no Seminário de São José, o construir e refazer exigem experiência e trabalho. Por isso, nesta abordagem concretizada e ocorrida nos terrenos do Castelo de VV (trabalho de campo), houve necessidade de ver, de escolher, de colher, de fixar com a mão, as pétalas da papoila. Contudo, a flor tornou-se efémera. Num sopro, as pétalas soltaram-se da mão e, num ápice esvoaçaram-se com o vento. Então, o vermelho, ficou reduzido a quimeras, mas a mão como instrumento do trabalho lá ficou e perdura no seu dia-a-dia.

3.Aproveito para enaltecendo o trabalho do Mário Linhares, transmitir-lhe que apreciei bastante o ultimo filme que me serviu para momentos de reflexão e basear o tema seguinte ”O DESENHO E O OUTRO”.
4.Concluindo: alheando a crise, foi uma estadia necessária e vantajosa com a cooperação de todos a quem me dirijo agradecendo-lhes a atenção até os últimos momentos, a companhia e simultaneamente a partilha de saberes.