Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

segunda-feira, 28 de Setembro de 2009

Fim de tarde

Já é tradição os Domingos terminarem no café com as melhores tostas de Lisboa. Apesar da modelo estar com ar de seca...

AS MACARONÉSICAS - vol. II

Se acima da linha do mar a paisagem é semi-desértica (mas nada deserta!), debaixo de água o cenário remete para o imaginário tropical. É díficil conciliar aquelas imagens com a noção de que, como diz junto à estatueta da Nossa Senhora das Selvagens, "aqui também é Portugal". Apesar de geograficamente ser África.
Abudefduf luridus, Teira dugesii selvagensis, Arenaria interpres, Naurcrates ductor e Calonectris diomedea borealis

E era um dos mais saborosos momentos do dia, o mergulho na baía das Cagarras, depois de uma manhã de joelhos no Planalto Central apanhando, pesando e medindo pintos. O azul intenso do mar era quebrado pelo salto da rampa de cimento onde preguiçava um bote pneumático, e num instante estávamos rodeados por inúmeras de espécies. Peixes verdes, castanhetas, rascassos e bodiões patrulhavam as zonas rochosas. Nos recantos da baía, cardumes de pequenas bicudas (ou barracudas), tanto maiores quanto mais nos afastávamos - e apesar de não agressivas como as suas parentes trans-Atlânticas, aquelas maiorzinhas sempre impunham respeito. Consta também que a baía era lar de um mero de grandes dimensões, mas de tão tímido que era nunca o cheguei a ver.

Abudefduf luridus - baía das Cagarras

Na boca da baía, cardumes de arenques formavam uma bola prateada à aproximação de um grupo de charuteiros, e com um pouco de calma era possível apreciar como estes últimos iam passando lentamente por entre os arenques, tentando separar um alvo.

Blaps gigas e Sardinella maderensis

Para além do que se via de terra na baía e poças, foi possível ainda desenhar algumas espécies mais pelágicas, que me vieram parar às mãos graças a Mestre Romão, pescador de Machico que se tornou companhia frequente durante a estadia na Selvagem Grande. A ele se deveu um bom número de refeições de gaiado na brasa (e outras iguarias fresquinhas), uma viagem no "Mestre Gregório" ao som de P.E.F. (nas palavras sábias de Mestre Romão, "sem comentários...") e bons momentos de convívio no alpendre da casa. Com ou sem poncha.

Antigonia capros e Macrourídeo


Ficha técnica

data: 03-27/08/2009
material: Moleskine Sketchbook 9x14 e Moleskine Sketchbook Aguarela 14x9; lapiseira 0.5 de grafite e mina azul; aguarela e lápis de cor
banda sonora: som ambiente (P.E.F.)

domingo, 27 de Setembro de 2009

Timor-Leste


Sei que é um bocado estranho ainda não ter publicado desenhos da av. da liberdade mas acreditem que o tempo está mesmo escasso aqui para os meus lados...

Sendo assim, aqui fica mais um retrato feito em Timor. Este senhor é quem dá informações na embaixada portuguesa em Timor-Leste. Talvez tenha ficado com este ar meio chateado porque eu estava cansado de esperar e ele não sabia dar informações nenhumas...

Definitivamente o nosso estado de espírito influencia os nossos desenhos!


Mais informações sobre esta história aqui.

sábado, 26 de Setembro de 2009

sexta-feira, 25 de Setembro de 2009

Avenida acima







Como em hora e meia se descobriu tanta coisa interessante num espaço tão curto! Foi uma primeira experiência que é para repetir.

Apresentação


Obrigado pelo convite para participar neste blog. Este foi um dos desenhos que fiz durante o encontro de Domingo passado. Mesmo em plena Avenida da Liberdade encontrei umas avezitas para ilustrar (mesmo sendo pombos...)!

terça-feira, 22 de Setembro de 2009

Sketchcrawl

Fiz um desenho nos Restauradores. Fui à Praça da Alegria, sentei-me num banco e fiz outro. Cheguei ao pé do Parque Mayer e desenhei o prédio da cervejaria Ribadouro, onde, a seguir, bebi uma imperial ao balcão. Saí e desenhei o prédio do outro lado da rua. Ao fundo vê-se a entrada do Parque Mayer onde combinámos encontrar-nos.

Restauradores

Praça da Alegria

Em frente à rua do Salitre

Ao fundo a entrada do Parque Mayer

AS MACARONÉSICAS – vol. I

Exocoetus volitans, apanhado a bordo do NRP Zaire

30º'N 15ºW. Bem vindos ao extremo sul de Portugal, e talvez o único local do país onde não se ouve a buzina da Family Frost.

Sete graus a norte do trópico de Cancer fica o arquipélago das Selvagens, duas mãos cheias de ilhas e ilhéus cobiçados por Espanha, que são Reserva Natural desde 1971. Também aqui se situa o marco de correio mas meridional de Portugal, que além da inegável bizarria de ver tal coisa numa ilha onde ninguém vive, se reveste de simbolismo de soberania nacional numa terra mais perto de Tenerife do que da Madeira.

Calonectris diomedea borealis - Selvagem Grande

Que conste Corto Maltese nunca fundeou por estas paragens. O mesmo não pode ser dito do infame Capitão Kidd, que reza a lenda terá deixado parte do seu tesouro numa gruta na metade leste da ilha. Mas a maior riqueza da ilha não está um hipotético espólio rapinado nas Américas, mas sim no seu património natural. Aqui, para além dos milhares de Cagarras que constituem a maior colónia mundial desta espécie com cerca de 15.000 casais e suas bonitas cacofonias de fim-de-dia, encontram-se também a maior colónia Europeia de Calcamares, bem como Pintaínhos, Almas-negras, Roquinhos e Corre-caminhos. Junte-se lhes um punhado de Gaivotas-de-patas-amarelas, e temos completo o ramalhete de aves nidificantes. Depois há as Osgas-das-Selvagens, encontradas unicamente na Selvagem Grande, Selvagem Pequena e Ilhéu de Fora, uma sub-espécie de Lagartixa-da-Madeira, particularmente numerosa no alpendre quando as refeições são servidas, entre muitos outros endemismos zoológicos e botânicos.

Crânios de C.diomedea borealis e Bulweria bulwerii; B.bulwerii, cabeça e cauda

Tive a felicidade de calcorrear as Selvagens, como voluntário de um projecto de investigação, durante três semanas em Agosto. Por entre o trabalho com as Cagarras, sempre se riscou alguma coisa.


Ficha técnica
data: 03-27/08/2009
material: Moleskine Sketchbook Aguarela 14x9; lapiseira 0.5 de grafite e mina azul; aguarela
banda sonora: som ambiente (Cagarras)

20 de Setembro...

Como estou a esforçar-me por ganhar coragem e vontade para aguarelar as minhas linhas pretas, publico, por enquanto, estas duas fotografias que tirei à socapa...


A Monica Cid a desenhar mesmo em frente a uma senhora que vendia pequenas bolsas na praça da alegria.

A Mafalda empenhada no desenho do edifício Condes...

domingo, 20 de Setembro de 2009

Encontro de desenho na Av da Liberdade!

;D ;D ;D ... fui a primeira!!! ;D ... é que fiquei com fome de MAIS!!! ;) Gostei imenso do encontro desta tarde e de conhecer mais pessoas lindas!!! :) Obrigada pela iniciativa Mário, e pela partilha com todos os que participaram, especialmente no final - com aquela troca de cadernos e de experiências - sempre a aprender! :)

sexta-feira, 18 de Setembro de 2009

Drawing the Google Earth


Surgiu-me aqui uma ideia...
Vejam lá o que acham:

Uma das opções do Google Earth permite ver fotografias locais, tiradas por fotógrafos amadores, através do "Panoramio".

E se, depois de rabiscarmos intensamente a Avenida da Liberdade, enviássemos os desenhos para lá? Já estive a investigar e basta um registo simples. Seria fantástico podermos ter a opção de ver desenhos em vez de fotografias de alguns locais...

O que acham? Se a moda pegasse já tínhamos motivo (e quem sabe até financiamento para comprar cadernos, canetas e aguarelas) para nos juntarmos a desenhar Lisboa inteira!!!


Ps. dêem um desconto à imagem que coloquei acima. Foi um trabalhito rápido no photoshop para dar a ideia...

quinta-feira, 17 de Setembro de 2009

Timor-Leste


De modo algum quero monopolizar o blog mas, como devem imaginar, tenho muitos desenhos de Timor e não consigo resistir em publicar... nem que seja de vez em quando...

Na casa onde estive a morar foi grande a incógnita sobre a identidade desta senhora... pudera, comecei com uma pessoa e acabei com outra!

De qualquer forma as idades estavam próximas: cerca de 40 anos.

quarta-feira, 9 de Setembro de 2009

Encontro para desenhar



Aqui fica a minha sugestão.
Desta vez proponho um percurso. Pela diversidade paisagística, parece-me que a Av. da Liberdade pode dar um belo exercício para um grupo de rabiscadores de cadernos...

O dia já está marcado. Temos tempo de antecedência para marcar na agenda. Não há desculpas para faltar a esta bela tarde de desenho!!

05 - Frankfurt

E pronto, cá estão os desenhos que faltavam sobre Frankfurt. Vou apenas deixar uns pequenos comentários sobre cada um.



Do lado esquerdo são pessoas que estavam no bar da pousada, mas não deu para desenhar o espaço envolvente porque chegaram uns amigos e começámos a falar...
Do lado direito é um colega meu a dormir no avião, já de regresso a Portugal.





Este era o espaço da feira onde as pessoas se sentavam a ler as revistas de design. O chão estava com uma alcatifa tão fantástica que não resisti e tive de trazer um bocado para terras lusitanas! Mas não roubei nada! Fui pedir as sobras...




Estes dois últimos foram feitos no mesmo parque junto ao rio onde desenhei os arranha-céus. Era um espaço mesmo agradável.

terça-feira, 8 de Setembro de 2009

04 - Frankfurt


Enquanto não coloco os desenhos de Timor (cheguei ontem e ainda ando trocado com o fuso horário de 8 horas), vou publicando mais desenhos de Frankfurt.

Embora digam sempre que é uma cidade muito industrial e sem grandes interesses turísticos, a verdade é que é óptima para desenhar. Os arranha-céus mesmo junto ao rio dão um belo enquadramento.