Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

terça-feira, 31 de março de 2009

À espera...


Domingo passado fui ao Barreiro. Enquanto esperava na gare que o barco chegasse e os portões se abrissem, registei o pátio vazio, ocupado por pessoas encostadas às janelas entretidas a olhar ou a ler e pombos que passeavam aos zig zags no chão.

Somente por ter ido convosco para a praça Luís de Camões, arrisquei nesta empreitada... julguei difícil, quase impossível, o espaço, as pessoas, a profundidade, os planos.... mas nada! Foi muito mais fácil do que pensava e o tempo pareceu que voou... o barco chega mais depressa quando estamos a desenhar?

♥ OUTROS DIÁRIOS GRÁFICOS

O motivo pelo qual me inscrevi no Workshop de Diários Gráficos foi por ter feito dois diários gráficos anteriores, nos quais não me atrevi a desenhar. Pura recolha, colagem e enquadramento de tudo o que me aparecia pela frente dos sítios por onde passei: bilhetes de metro, bases de copos, restos de cartazes, graffitis em papel... O último foi de uma viagem de quase um mês pela Tailândia. O primeiro, o culpado disto tudo, foi há 2 anos, durante um interrail tardio... Brevemente revelo algumas páginas destes diários que me dão recordações tão boas.


















Diário Gráfico / work in progress
Cracóvia ~ Polónia























Diário Gráfico / eBOY
Cracóvia ~ Polónia

Depois de ter comprado um cartaz da cidade de Berlim de um estúdio de design gráfico que gosto muito (eBOY) deram-me o autocolante que daria nome ao meu diário gráfico: eBOY (e de europe). O estúdio e os seus trabalhos aqui.

segunda-feira, 30 de março de 2009

O ultimo dia.. ou o primeiro


"Do not fear mistakes. There are none." (miles davis)
Ainda não aceito os meus erros. Ainda continuo a não gostar de desenhar caras, pessoas. Prefiro espaços, objectos.
No último dia do workshop desenhei o que ficou nas mesas, aquilo que os meus olhos conseguiram alcançar. Não são apenas nomes, são pessoas que guardarei para sempre na minha memória, e não estão todos aqui representados, faltam mais :) .
Espero que a magia que envolve este modo de estar e ver a vida nunca desapareça.
A expressão criativa alimenta-me a alma.. Obrigada a todos*

Foto em família

Não, não é assim que eu vos vejo. As caras estão de fugir e as roupas não eram nada assim. Foi só para ter uma ideia onde vocês costumavam estar.

sábado, 28 de março de 2009

Dia 26 no Chiado


Aí estão as diferenças...
Confesso que não gosto muito de voltar aos desenhos depois de os acabar no local, embora reconheça que a cor lhes dá algo...

Também não é prático levar as aguarelas para o meio da rua... não sei como vou gerir esta questão...

♥ CARAS CONHECIDAS 1

Sábado à tarde no Chiado, sentado na esplanada da Bénard. Desenho os amigos que se juntam a mim e que conversam entre si enquanto ouço, concentrado no bico fino da caneta preta. Os óculos vermelhos chamaram-me a atenção.





A mala dos livros


No dia em que fiz este desenho do Eduardo Salavisa, a Ana Paula e eu ajudámos a carregar uma mala de viagem que teria à vontade uns vinte quilos até ao Metro. O Eduardo levou para a aula uma série de livros de amigos e não só, diários gráficos, cadernos de artista e distribuí-os pela turma para que pudéssemos admirar o trabalho diário de artistas que registam graficamente o mundo onde vivem.
Para baixo nós ajudámos, mas imaginar carregar tanto peso e subir aquelas escadas gigantes até à FBAUL... é preciso ser um grande PROFESSOR!!!

Caracterizar uma personagem

Falam constantemente ao telemóvel, fumam frequentemente, olham à volta inquietos e andam de um lado para o outro.
Ver outra página aqui.

Ontem ao fim da tarde à porta dos Armazéns do Chiado
Eduardo Salavisa

sexta-feira, 27 de março de 2009

O último dia...


No primeiro dia do Workshop desenhei a Telma no diário gráfico dela.
No último dia, já quase me esquecia de voltar a fazer o retrato dela, mas ainda fui a tempo.

Parece-me que este ficou melhor que o primeiro...

o primeiro de muitos














26.03.09 fbaul lx

quinta-feira, 26 de março de 2009

♥ OS ÚLTIMOS SÃO SEMPRE OS PRIMEIROS.


O último desenho do workshop, o princípio de muitos outros. Possidónio, inauguras o blog com toda a distinção. "Rosa, foste a primeira!", grita a multidão em uníssono. A primeira de muitas mãos desenhadas surge e, queridos colegas, 'the show must go on!'