Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blogue só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Museu Nacional de História Natural - Colecções de Naturalista e Jardim Botânico

peixe e verduras (prato de dieta)

No Museu Bocage, mais precisamente na Sala da Baleia está patente a exposição "Colecções de Naturalista", um manancial de pickles e peles e outras maravilhas preservadas com o encanto bafiento de outros tempos. Uma das mais bonitas salas da Politécnica (dito um pouco à boca cheia, já que não vi ainda o Laboratório Chimico), recuperada em 2006, e que me manteve entretido com os seus peixes em formol mesmo perante hordas de pequenada aniversariante que berrava como se não houvesse amanhã.

Após ser gentilmente convidado a sair à hora de fecho, e perante uma certa insatisfação de nem ter enchido a página de peixes, nem ter chegado às aves (ilustrador é ser lento...), acabei por me meter Jardim Botânico adentro. Já não ia até lá há uns anitos, continua um local altamente recomendável. A chuva acabou por me trocar as voltas, e aos primeiros pingos recolhi o estaminé e prometi voltar em breve.


Ficha técnica
data: 14/06/2009
material: Moleskine Sketchbook 9x14; lapiseira 0.9 e 0.5
banda sonora: Molotov

14 comentários:

Rosa Baptista disse...

Muito bons os desenhos! O esqueleto de um peixe inteirinho... E a mistura com as folhas fica "naturalíssimo"! Não sou fã de esqueletos, mas estes acredito que dêem mt gozo a desenhar...

Eduardo Salavisa disse...

Olá Pef. Para quando um próprio? Um blog.

Monica Cid disse...

que bonitos desenhos! e composição de página!... também gosto de desenhar animais :)
pois é, e o teu blog?!
beijinhos ***

PeF disse...

Rosa: não são bem esqueletos, são... "pickles" ou peixes conservados em formol. Ficam estranhos, como que mirrados, sem cor e de olhos encovados, mas com o seu encanto. O que não falta são frascos e mais frascos com peixes de formas bizarras e interessantes, que puxam pela grafite. Esqueci-me de mencionar que a entrada no Museu Bocage é gratuita.

Eduardo: não sei, ainda me estou a ambientar...

PeF disse...

Monica: hás de lá ir, tem muito bicho empalhado e não se esgota numa sessão (ou duas, ou três, ou...). Tem muito por onde.

A composição da página segue a escola seja-o-que-deus-quiser, os elementos vão aparecendo, vão-se sobrepondo e acotovelando e no final logo se vê - costuma resultar!

Cate disse...

Estão excelentes, os "pickles"!
E o traço é inconfundível!

Cate disse...

ah... é quando à lentidão (do ilustrador), não é uma velocidade, mas um estado perceptivo! :-)

PeF disse...

Cate: em caso de necessidade vou começar a dizer isso aos editores impacientes "ah, sabe que isto não será atraso, quanto muito é um alargado estado perceptivo, assim lato, lato..." E quanto aos "pickles", é como digo, é coisa que não falta por lá. Está também uma colecção de ninhos que, se não estivesse enjoado de morte dos ditos e tivesse tempo, até teria valido a pena desenhar. Fica para a(s) próxima(s)...

Rosa Baptista disse...

MDR!!!! (montes de risos)
Adorei os Pickles! Sem dúvida que deve ser um lugar ímpar em motivos para o desenho! Mas ainda não sei se estou convencida... Faz-me sempre lembrar o Museu de Lagos do antigamente (já mudou) em que haviam muitos boiões cheios de animais que tinham nascido meio bizarros, fruto de uma natureza talvez menos simpática para os ditos... de ver patas a tripiclar, cabeças a dobrar, anormalidades da natureza... acho que fiquei com o trauma dos Pickles nos museus...

PeF disse...

Esse antigo Museu de Lagos havia de dar umas páginas interessantes de diários. Que terá acontecido a esse material? E o da Feira Popular de Lisboa?

Rosa Baptista disse...

MDR!!! Alguém neste momento pode montar um cenário de um filme de terror sem qualquer tipo de efeitos especiais... basta recorrer ao pior (ou melhor) que está guardado por aí, sabe Deus onde.... :)))

Erica disse...

Parece que há muito material para o filme de terror num museu algures em Coimbra, mas é de pickles humanos.
Pef, eles têm razão, já fazias um blogue!

PeF disse...

Camandro! Tu quoque, Erica? Mas isto é uma conspiração, estão todos feitos contra mim?

Rosa Baptista disse...

Contra? A FAVOR!!!!